TEMPERATURA

A temperatura do vinho pode influenciar se ele é bom ou ruim. É ela que determina como percebemos os aromas e os sabores através dos estímulos que são enviados ao nosso cérebro.

 

As temperaturas recomendadas para degustações de vinhos e espumantes vão de 4º C a 20ºC

É neste intervalo que se percebe todo o prazer que ele pode nos proporcionar.  Por isso é importante degustar  na  temperatura  adequada para cada tipo de vinho.

 

Os defeitos

 TEMPERATURA BAIXA (Abaixo do ideal):

  • O vinho tinto fica duro, amargo e áspero com pouca percepção de aromas.
  • Concentra a percepção dos taninos, prejudicando as propriedades lubrificantes da saliva. O vinho fica mais adstringente. Aquela sensação de banana verde.

 

 TEMPERATURA ALTA (acima do ideal):

  • O branco perde o frescor, fica muito ácido e alcoólico; aumenta aroma do anidrido sulfuroso (enxofre).
  • Aumenta a percepção de açúcar. Nos vinhos suaves a relação doçura/acidez fica desequilibrada.
  • O tinto fica com aroma alcoólico;
  • O tinto fica com acidez quase intolerável.

 

As virtudes:

 

Estando nas temperaturas certas os vinhos se apresentam com elegância, com os taninos, acidez e o álcool fazendo suas funções e, na maioria dos casos, tornando-os macios e redondos. Prazeroso.

 

TEMPERATURAS IDEAIS:

 

Espumantes e frisantes:…………….. 6° a 8°

Brancos e rosés:………………………..9° a 12°

Tintos leves:…………………………..15º a 17°

Tintos com mais corpo:……………. 17° a 20°

 

 

Aprecie as melhores qualidades de seu vinho. Na temperatura certa, é claro!

 

Acir Valença

acirBeber Vinhoabaixo,acidez,acima,alcoolico,aroma,branco,doce,espumante,sabor do vinho,suave,Temperatura,tinto,virtudes,visual.
 TEMPERATURA A temperatura do vinho pode influenciar se ele é bom ou ruim. É ela que determina como percebemos os aromas e os sabores através dos estímulos que são enviados ao nosso cérebro.   As temperaturas recomendadas para degustações de vinhos e espumantes vão de 4º C a 20ºC É neste intervalo que...

Em 1980 um parente mostrou-me uma novidade no Brasil. A chegada dos famosos (e docinhos) vinhos alemães. Foi meu ponto de partida. Compramos algumas caixas destes vinhos e contratamos um Stand na Feira UD no Parque Anhembi, em São Paulo. Usamos o método da degustação para atrair o publico que ainda não conhecia a figura do vinho. Com o sucesso nos convencemos que teríamos o vinho em nossas vidas como fonte de trabalho. Com o tempo fiquei só na empreitada. Novos horizontes e novos vinhos foram surgindo em minha vida. Estudei e degustei muito e faço isso até hoje. O que mais gosto de fazer ainda é passar conhecimentos a quem deseja incluir a cultura do Vinho em suas existências. Fui lojista, consultor e palestrante, sempre com o Vinho, neste percurso sem nunca tive um só arrependimento. Encanta-me ver os olhos dos amigos que tiveram sua entronização neste mundo passando por minha contribuição através dos conhecimentos que adquiri. Cursei Direito na Universidade Estadual de Londrina, fiz muitos cursos sobre vinhos, dentro e fora do Brasil e fundei a ABS-NP - Associação Brasileira de Sommeliers Norte do Paraná, sub sede da ABS-SP. Hoje continuo com o entusiasmo de sempre passando conhecimentos e a cultura do vinho para as pessoas que têm um olhar carinhoso para o assunto. Sigam-me neste site e vejam o conteúdo que espero seja útil a todos. Abraço Acir Valença