Os 10 mitos sobre Vinhos.

     Muitas informações que chegam aos consumidores que querem conhecer um pouco sobre vinhos parecem que vieram de outra galáxia. São informações banais ou tão complexas que facilitam o surgimento dos mitos. Vamos diferenciar a verdade dos mitos. Abaixo uma lista de mitos de vinho que podem ajudar sua experiência de degustação de vinhos:

 

  1. Abrir a garrafa para o vinho respirar.

Abrir uma garrafa e deixa-la sem a rolha por uma hora é a forma menos indicada para o vinho respirar e ganhar em aromas e sabor. O gargalo é muito estreito e a superfície de contato do vinho com o oxigênio é muito pequena.  Melhor usar um decanter, que foi feito para isso, ou então sirva o vinho em diversas taças para que ele receba oxigênio em diversas superficies, para que o vinho respire e mostre sua qualidade.

  1. Comprar vinho novo ou vinho VELHO?

Quem influi no preço do seu vinho normalmente são as regras de mercado, independente de sua idade. Se um vinho de um bom produtor não estiver na moda, com pouca crítica ou indicações de alguns experts é sinal que este vinho não deve subir muito com o tempo. Com alguma pesquisa é possível encontrar vinhos europeus, de guarda, na faixa de US $ 50.

Para os vinhos do dia-a-dia, que são produzidos em maior quantidade, o preço não deve aumentar a não ser que haja desabastecimento de algum importador ou produtor que esgote o vinho nas prateleiras.

Por outro lado os vinhos de produção limitada, safras excepcionais como Brunello de Montalcino de bom produtor, Veja Sicília da Espanha, algum Bordeaux ou Bourgogne da França podem subir até 100% no preço dentro de um ano, impulsionado pela demanda.

Dica: Se for comprar vinho para guardar em sua Adega, invista em vinhos que estão em alta demanda em todo o mundo. Estes vinhos vão subir de preço, com certeza.

  1. Só os vinhos caros são bons?

Existem bons vinhos para todos os gostos e bolsos. Vinhos caros são só caros.

No principio o vinho era feito de forma artesanal. Para fazer bons vinhos era necessário muito tempo e trabalho dos produtores. Assim havia uma relação direta entre preço e qualidade.

Com o tempo os vinhos se tornaram industrializados, com processos de produção replicáveis com o uso e avançado da moderna tecnologia. Isto permitiu produzir bons vinhos a bons preços.

Dica: Fique atento aos vinhos produtos de Marketing, que custam entre 70 e 80% a mais por isso. Mais fama que qualidade.

  1. Quanto mais velho melhor?

Apesar da crença popular cerca de 90% dos vinhos vão do seu nascimento até sua morte em curto espaço de tempo. Os vinhos brancos na sua grande maioria são feitos para consumo em até três anos. E os tintos são para consumo até cinco anos de sua safra (ano em que foram colhidas a uvas)

As exceções ocorrem em vinhos com frutas concentradas, acidez contundente, taninos aparentes e estruturados podem envelhecer com classe. Clássicos e caros Grand Cru de Bordeaux são bons exemplos.  Apenas as melhores uvas são usadas nos grandes vinhos. Dependendo da qualidade das safras os vinhos podem envelhecer por 10-20-30 anos. Eles representam menos de 10% da produção mundial.

 

  1. Queijos e vinho são parceiros ideais?

Aqui um dos maiores mitos. Necessário  ter cuidado com esta afirmação. Nem todo queijo vai bem com vinho! A maioria dos queijos têm texturas e sabores que condicionam nossa língua a não sentir e desfrutar plenamente da riqueza e equilíbrio de um bom vinho. Felizmente existem boas exceções como o queijo Roquefort (salgado) combinando com vinho doce Sauternes ou Late Harvest.

 Dica: Um queijo de pasta mole, como Brie ou Camembert pode ser seu maior aliado, quando tomar um vinho ruim. O queijo vai revestir seu palato e assim você se livra da ruindade deste vinho.

 

  1. Pernas ou lágrimas mais espessas, o vinho é melhor?

Quando você gira a taça com o vinho e para, em segundos vão aparecer as “lágrimas” que descem dentro da taça. Ao contrário das crenças comuns, essas pernas não constituem um indicador de qualidade. Este é um fenômeno causado pela evaporação do álcool mais rápido que a tensão superficial da água, que é menor. As pernas depois de formadas escorrem para baixo pela gravidade nos dando algumas informações sobre o vinho. Lágrimas mais espessas, vinhos menos alcoólicos. Quando o vinho é encorpado suas lágrimas descem mais lentas.

  1. Vinho tinto, temperatura ambiente.

Outro grande mito. Só tomamos tintos em temperatura ambiental quando estamos em um país de clima frio. Os tintos são melhores quando servidos em 14-18° C dependendo da variedade da uva e seu estilo. Cabernet Sauvignon fica bem quando servido a 18° C e um Pinot Noir em 16° C.

 

  1. Vinho dá dor de cabeça?

Só produtos mal feitos fazem mal a saúde e só vinho ruim dá dor de cabeça. Nestes são usados muitos conservantes de alimentos para encobrir defeitos, falta de higiene e melhorar o gosto. Soma-se a isso a adição de açúcar, uso de uva inadequada fazendo deste coquetel uma verdadeira bomba para a dor de cabeça do dia seguinte.

Por outro lado, pouca gente sabe: É bom tomar vinho com uma jarra de água ao lado e beber vinho e água em parte iguais. A falta de hidratação, isto sim, pode dar dor de cabeça.

Dica: Fuja dos vinhos de baixa qualidade e beba muita água. Assim só fica o Mito.

 

  1. Vinho Orgânico tem sulfitos?

Sulfitos (dióxido de enxofre) no vinho são formados no processo de fermentação. Contrariamente à crença popular, sulfitos não causam dores de cabeça. Na verdade, nossos corpos produzem 1.000mg de sulfitos por dia. Porém pessoas com problemas de asma, os sulfitos podem levar a uma reação alérgica.

Muitos vinicultores adicionam sulfitos para evitar a oxidação e estabilizar seus vinhos. Nos vinhos orgânicos não há a adição de sulfitos adicionais.

 

  1. Para degustar tenho que entender de vinho?

Aqui vai a dica do  grande pulo do gato. Você só precisa experimentar dois ou três bons vinhos. A partir daí  construa seus   próprios parâmetros e adote o conceito  “gostei” e “não gostei” porque quem vai comandar suas preferências vínicas, a partir deste ponto, serão seus sentidos, suas afinidades com um tipo ou outro, seu poder de decisão. É como dirigir um automóvel. Primeiro aprende, depois a experiencia o torna uma grande motorista.

Para entender de vinho a primeira coisa é gostar dele. Depois ler, estudar, participar de grupos ou confrarias, convidar amigos, parentes e colegas de trabalho para dividir conhecimentos e alegrias.

Seja Feliz com o Vinho.

 

 

 

acirEntendendo o Vinho10mito,abriaragarrafa,Adega,bonsvinhos,dordecabeça,encorpado,orgânico,Sulfito,Temperatura,vinho novo,vinhorespirar,vinhoscaros,vinhovelho
Os 10 mitos sobre Vinhos.      Muitas informações que chegam aos consumidores que querem conhecer um pouco sobre vinhos parecem que vieram de outra galáxia. São informações banais ou tão complexas que facilitam o surgimento dos mitos. Vamos diferenciar a verdade dos mitos. Abaixo uma lista de mitos de vinho...

Em 1980 um parente mostrou-me uma novidade no Brasil. A chegada dos famosos (e docinhos) vinhos alemães. Foi meu ponto de partida. Compramos algumas caixas destes vinhos e contratamos um Stand na Feira UD no Parque Anhembi, em São Paulo. Usamos o método da degustação para atrair o publico que ainda não conhecia a figura do vinho. Com o sucesso nos convencemos que teríamos o vinho em nossas vidas como fonte de trabalho. Com o tempo fiquei só na empreitada. Novos horizontes e novos vinhos foram surgindo em minha vida. Estudei e degustei muito e faço isso até hoje. O que mais gosto de fazer ainda é passar conhecimentos a quem deseja incluir a cultura do Vinho em suas existências.
Fui lojista, consultor e palestrante, sempre com o Vinho, neste percurso sem nunca tive um só arrependimento. Encanta-me ver os olhos dos amigos que tiveram sua entronização neste mundo passando por minha contribuição através dos conhecimentos que adquiri.
Cursei Direito na Universidade Estadual de Londrina, fiz muitos cursos sobre vinhos, dentro e fora do Brasil e fundei a ABS-NP – Associação Brasileira de Sommeliers Norte do Paraná, sub sede da ABS-SP.
Hoje continuo com o entusiasmo de sempre passando conhecimentos e a cultura do vinho para as pessoas que têm um olhar carinhoso para o assunto. Sigam-me neste site e vejam o conteúdo que espero seja útil a todos.
Abraço
Acir Valença